A Tertúlia tem como objectivo principal:

a) promover acções de carácter humanitário, de ajuda a Radioamadores que dela necessitem e de colaboração na prevenção e combate a sinistros;

b) promover a aproximação entre Radioamadores dos diversos quadrantes.

(Artº Quarto dos Estatutos)


.

.

Exercício de Emergência pela EEPC da TRGM

Decorreu no passado dia 06 de Julho, conforme anunciado e inserida no programa do TRGM-Coimbra Field Day-2013 o anunciado Exercício de Comunicações de Emergência, protagonizada pela equipa de emergência em proteção civil (EEPC) da TRGM. A realização de exercícios de comunicações de emergência e a preparação/treino de radioamadores advém do imperativo legal contido no PNEPC-Plano Nacional de Emergência de Proteção Civil que comete a estes, entre outras,
- Apoiar as radiocomunicações de emergência;
- Estabelecer e garantir autonomamente vias de comunicação, recuperação e integração de outros meios e dispositivos de comunicação;
- Reportar através dos meios de rádio, informação útil ao acionamento de meios de socorro e salvamento;

Exercício simulado de emergência
 
À hora estabelecida, foi dada ordem de partida pelo coordenador das EEPC, Sousa-CT1ASP, para as posições pré-determinadas com o objetivo de estabelecer uma "rede" entre as várias posições e desta para a estação base (no aeródromo) de modo a assegurar a cobertura dos pontos-chave da cidade onde, supostamente, os nossos meios seriam necessários no caso de falência das redes oficiais de comunicações (Nó rodoviário IC2 Sul, Casa Municipal da Proteção Civil, PSP, HUC, Quartel-general, Nó IC2 Norte, Nó do Almegue-A1 Sul, Heliporto do iParque).
A partir da BASE, localizada no Aeródromo Municipal de Coimbra, a estação CR5CCC, receberia as comunicações posição a posição e faria a ligação com as autoridades de proteção civil, no local e outras, no exterior, através de VHF ou HF.
O exercício
Em menos de 10 minutos (tempo previsto) as posições estavam tomadas e anunciadas à base, seguindo-se o cruzamento/comunicação entre posições.
Resultados
Estabelecida a rede, que era o objetivo do exercício, foi transmitida uma mensagem de felicitações pelo sucesso da ação e a base deu por findo o exercício simulado de comunicações de emergência com indicação de regresso.
 
Como amadores e voluntários não estamos integrados em qualquer estrutura de comando. Logo, a forma de cumprirmos a nossa parte é mantermos a nossa auto-coordenação através do treino em comunicações de emergência porque mesmo quando tudo falha, um Radioamador está operativo!
 

Sem comentários: