.

.
(Artº Quarto dos Estatutos)

Espaço Tertúlia

Vai ter lugar no próximo dia 15 de Março, pelas 16,30h, 
a inauguração do novo Espaço Tertúlia.
Espreite a sua caixa de correio!

Corpos Sociais da TRGM

Teve lugar, esta tarde, a Assembleia-Geral Eleitoral da TRGM, para eleição dos Corpos Sociais para o biénio 2020-2021.
Foram eleitos, por unanimidade, os seguintes colegas:

Compras no Reino Unido após BREXIT (31JAN2020)

Para esclarecimento:

http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/destaques/Paginas/Brexit_destaque_2020_01_29.aspx

Contributo para um novo regulamento de amador

O projeto de novo regulamento de amador, da autoria de 21 Associações de Radioamadores, foi dado a conhecer, no passado dia 16, a todos os Membros da Tertúlia com vista à obtenção de contributos para a discussão final que terá lugar, em Santarém, no próximo dia 15 de Fevereiro.
O prazo para a participação terminará em 31 de Janeiro corrente, no máximo mais um a dois dias.
O radioamadorismo é de todos e não participar retira legitimidade de, futuramente, vir a reclamar de não ter sido ouvido!
Participa!

RELATÓRIO DA CONSULTA PÚBLICA SOBRE O PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES da ANACOM 2020-2022


Para conhecimento, divulga-se o relatório 

 RELATÓRIO DA CONSULTA PÚBLICA SOBRE O PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES 2020-2022
VERSÃO PÚBLICA – NOVEMBRO 2019

 e a resposta da ANACOM aos comentários/questões apresentados por radioamadores:

(pág. 7 e seguintes)

Posição da ANACOM:
O Decreto-Lei n.º 53/2009, de 2 março, procedeu a uma revisão profunda do regime legal do Serviço de Amador e Amador por Satélite (SAAS), tendo a ANACOM, no âmbito da preparação do projeto de diploma que então propôs ao Governo, promovido um amplo debate junto das Associações de Amador e refletido algumas das posições destas entidades no texto que veio a ser aprovado. De entre os principais objetivos da alteração legislativa de 2009, destacam-se:
- o alinhamento da legislação nacional com as normas e recomendações internacionais (designadamente Decisões, Recomendações e Relatórios da Conferência Europeia das Administrações Postais e de Telecomunicações – CEPT) e a simplificação do regime legal, quer do ponto de vista técnico, quer dos procedimentos administrativos a observar para o exercício da atividade de amador;
- o reforço dos mecanismos de responsabilização dos amadores e das suas associações, em caso de deficiente ou incorreta utilização das respetivas estações de radiocomunicações e na ocorrência de interferências em que tenham intervenção estações de amador, bem como os poderes de fiscalização cometidos à ANACOM enquanto entidade gestora do espectro radioelétrico.
Posteriormente, os
Procedimentos para o serviço de amador, publicados ao abrigo do referido diploma – em que se incluem as regras relativas aos indicativos de chamada – foram submetidos ao procedimento de audiência de interessados, no âmbito do qual os amadores e as associações de amador tiveram oportunidade de se pronunciar sobre as opções tomadas pela ANACOM.
É este enquadramento regulamentar atual destes serviços de radiocomunicações que servirá de base à posição da ANACOM relativamente a estas matérias.
Relativamente à substituição das atuais categorias 1, 2, 3, A, B, C, pelas categorias A, B, C e D – será de relevar que se pretendeu com o Decreto-Lei n.º 53/2009, de 2 março que passassem a existir seis categorias de amador, correspondendo as três primeiras – 1, 2 e 3 à classificação dos amadores após exame de aptidão realizado ao abrigo desse diploma e dos procedimentos nele previstos e as outras três – A, B e C – às categorias já existentes, que se mantêm, sem qualquer tipo de equivalências administrativas. De facto, as equivalências administrativas feitas ao longo das muitas alterações regulamentares anteriores, criaram distorções e injustiças em termos de privilégios que não foram nem deverão ser repetidas.
Assim, também não fará sentido comparar as categorias 2 e B que não estão de facto “ao mesmo nível legal”, nem alterar a forma de atribuição de indicativos, subvertendo a separação entre as anteriores e as novas categorias. Já quanto á questão dos privilégios da categoria 2 no acesso às faixas de frequências, ela poderá ser reequacionada em futuras alterações do QNAF que serão sempre sujeitas a consulta pública.
No que respeita à categoria 3 será de relevar que muitos poucos países europeus têm esta categoria de entrada, estando apenas as categorias 1 e 2, e em especial a primeira, harmonizada ao nível da CEPT. Pretende-se que esta categoria seja de aprendizagem e de passagem para as categorias mais elevadas, essas sim de caráter permanente e com a possibilidade de reconhecimento internacional. Foi então consensual que o referido processo de aprendizagem deveria desenvolver-se através do relacionamento dos novos amadores com os amadores mais experientes e com as suas Associações, tendo desta forma acesso tutelado a todas as faixas de frequências que estes últimos tiverem acesso, incluindo naturalmente, se aplicável, as faixas de HF. A prática, tem, contudo, demonstrado que o tempo mínimo de permanência dos amadores nesta categoria de dois anos é excessivo, tendo já sido desenvolvidas as diligências necessárias com vista à redução deste tempo.
Relativamente à reversão dos prefixos dos indicativos de chamada das estações de amador na Região Autónoma dos Açores será de referir que a configuração dos indicativos de chamada, que se manteve em aplicação entre 1985 a 2009, não permitia (i) por um lado, estabelecer uma distinção, entre os amadores da categoria C, por ilha do arquipélago e (ii) por outro lado, em cada ilha, não permitia distinguir os amadores das categorias A e B, através do respetivo prefixo.
A alteração efetuada em 2009 teve como principal objetivo definir, para o futuro, uma estrutura de indicativos coerente para todo o território nacional, mediante a aplicação de dois vetores: área geográfica e categoria de amador. Releva-se que a nova estrutura, sendo disruptiva com a anterior, apenas se aplicou às novas categorias de amador 1, 2 e 3, não afetando “direitos adquiridos” porque se mantiveram os anteriores indicativos para as categorias A, B e C.
Não existe regulamentação específica para os serviços de amador e de amador por satélite, para a Instalação de sistemas radiantes em condomínios, aplicando-se a regulamentação em vigor para todas as estações de radiocomunicações, qualquer que seja o serviço em causa, nos artigos 20.º e 21.º do Decreto-Lei n.º 151-A/2000, de 20 de julho, na redação atualmente em vigor, nomeadamente, a necessidade de “consentimento dos respetivos proprietários, nos termos da lei”. A alteração desta situação carecerá de análise cuidada em função dos interesses das partes em jogo.
Sem prejuízo de se equacionar no futuro disposições específicas para mitigar determinadas situações típicas de interferências, no que respeita a Inspeções regulares e interferências, será de relevar que se trata de um trabalho que é desenvolvido diariamente pelas equipas de monitorização e controlo do espectro, devendo as comunicações de interferências serem feitas nos termos dos números 1. e 2. da parte X dos Procedimentos para o serviço de Amador.

Reunião de associações de radioamadores em Santarém

Teve lugar no passado sábado, dia 26 de Outubro, em Santarém na sede da ARR* uma reunião  de associações de radioamadores, a convite do grupo de representantes designado para tratar do assunto dos 2m.
Compareceram mais de três dezenas de dirigentes de 21 associações, representando a esmagadora maioria dos radioamadores portugueses.
No período que antecedeu esta reunião, algumas associações ouviram os seus associados e, igualmente, radioamadores não associados, para formularem a sua posição.
De salientar a "unanimidade" dos representantes associativos na tomada de decisão acerca das metas a atingir e dos trabalhos a desenvolver, com vista à elaboração de uma proposta de nova regulamentação, a propor ao Governo da República no prazo de 6 meses, que melhor sirva os interesses da generalidade dos radioamadores portugueses.

Ao Sílvio Leiria-CT1BPT e aos CS da ARR renovamos os agradecimentos pela disponibilidade das instalações e pelo acolhimento.

Inauguração do novo centro de monitorização da Anacom

Teve lugar no passado dia 24 de Outubro a inauguração do novo centro de monitorização do espetro da ANACOM no Porto.
Estiveram presentes, em representação da TRGM-Tertúlia os membros dos corpos sociais Filipe Relvão-CT7ALM e José Machado-CT1BAT.
À sessão inaugural, presidida pelo presidente da ANACOM Dr. João Cadete de Matos, seguiu-se uma visita guiada às instalações e meios móveis de monitorização e controlo do espetro.




Nova legislação para o serviço de amador e serviço de amador por satélite


Comunicado

Na sequência do convite a todas as associações de radioamadores (AR), amplamente divulgado, reuniram-se vinte e uma (21) associações de radioamadores (AR), em Santarém, em 26 de outubro de 2019, para analisar e propor uma nova legislação para o serviço de amador e serviço de amador por satélite.

As AR estabeleceram como objetivos tornar a legislação do radioamadorismo mais adequada aos tempos atuais, entregando ao poder político um documento estruturado, claro, preciso e conciso onde fiquem claras as nossas intenções, onde seja evidente a representação da esmagadora maioria dos radioamadores nacionais e se enfatize a importância do radioamadorismo no tecido social, humano, cultural e tecnológico.
Estabeleceram-se, ainda, como objetivos assegurar que uma legislação moderna seja facilitadora da cultura científica, do radioamadorismo e do recrutamento de novos radioamadores.

Para cumprimento dos objetivos, as AR deliberaram sobre um conjunto de medidas que levem à formulação de uma proposta legislativa a ser entregue ao Governo, durante o primeiro semestre de 2020.
Como método de trabalho, decidiram as AR, entre outras, as seguintes medidas:
·         Estabelecer um calendário de trabalhos, incluindo os momentos de auscultação dos(as) associados(as) das diferentes associações e a votação final do documento a entregar;
·         A forma de deliberar nos diferentes trabalhos que decorrerão ao longo dos próximos meses;
·         A constituição de diferentes Grupos de Trabalho para estudo e propostas referentes a diferentes áreas do serviço de amador, nomeadamente, categorias e indicativos, associações, espectro/QNAF, estações de uso comum, procedimentos, licenciamento e regime de taxas.

Santarém, 28 de outubro de 2019

AMSAT-PO, Associação de Amadores de Satélite de Portugal
ARADO, Associação de Radioamadores do Oeste
ARAL, Associação de Radioamadores do Distrito de Leiria
ARAM, Associação de Radioamadores do Alto Minho
ARBA, Associação de Radioamadores da Beira Alta
ARBB, Associação de Radioamadores da Beira Baixa
ARC, Associação de Radioamadores de Coimbra
ARETD, Associação de Radioamadores de Entre Tâmega e Douro
ARLA, Associação de Radioamadores do Litoral Alentejano
ARLC, Associação de Radioamadores da Linha de Cascais
ARR, Associação de Radioamadores do Ribatejo
ARRLx, Associação de Radioamadores da Região de Lisboa
ARVM, Associação de Radioamadores da Vila de Moscavide
CRE, Clube de Radioamadores do Entroncamento
LARS, Liga Amadores Rádio Sintra
NRA, Núcleo de Radioamadores da Armada
RCL, Radioamador Clube de Loulé
REP, Rede dos Emissores Portugueses
TRGM, Tertúlia Radioamadorística Guglielmo Marconi
TRPV, Tertúlia Radioamadorística da Praia da Vitória
URA, União de Radioamadores dos Açores

Colaboração com a FNA no JOTA 2019


Os Órgãos Sociais da TRGM, em reunião do dia 30 p.p. decidiram, por unanimidade, satisfazer o pedido da FNA para apoiar a estação nacional da Fraternidade de Nuno Álvares (CR6FNA) no 62º Jamboree on the air (JOTA) e 23º Jamboree on the internet (JOTI) a realizar em COIMBRA, no Instituto Geofísico (À Av. Dias da Silva) durante os dias 18, 19 e 20 de Outubro.
Os colegas que puderem ajudar, especialmente na operação da estação, devem manifestar a sua disponibilidade para o Filipe Relvão (tel. 963 241 023) ou, para CT7ALM,  através da frequência 145,550 MHz para que possam ser encaixados na escala.
Oportunamente, serão dadas informações sobre os acessos e possibilidade de visitas.

NOVO DECRETO/REGULAMENTAÇÃO de AMADOR

Para conhecimento:
Sabendo o impacto que a representação das 26 associações teve junto das entidades oficiais e fazendo jus ao ditado “a união faz a força”, os representantes das associações (CT1BAT, CT1DBS, CT1DL, CT1END, CT1FKF e CT2IXQ), reunidos à margem da reunião com a ANACOM, em 15 Julho último, decidiram propor a realização de uma reunião que possibilite a elaboração de uma proposta tendente à substituição do atual DL 53/2009, a apresentar a quem de direito.
Face à importância do assunto é desejável que a reunião tenha a participação de todas as associações de radioamadores reconhecidas pela ANACOM, conforme a lista publicada por esta
. A Associação de Radioamadores do Ribatejo (ARR), cuja sede se localiza num local estratégico e de fácil logística, abre as suas portas a todos os representantes de associações de radioamadores para a reunião que terá lugar no Sábado, 26 de Outubro, com início pelas 14h00min.
(Extrato do Convite enviado às associações constantes da lista publicada pela Anacom)

A TRGM na IBERRADIO_2019 em Ávila

A comitiva da TRGM-Tertúlia que esteve na IBERRADIO_2019 com o nosso amigo Salomão da AMSAT-PO.








Também, durante a IBERRADIO decorreu o encontro do presidente da TRGM e vice-presidente da EURAO - Organização Europeia de Radioamadores com os amigos da E.C.B.F.-Liga Española de CB y Radioaficionados-Federação Española.

144-146 MHz

Face à nova tentativa da França para viabilizar a discussão sobre a utilização da banda dos 2 metros (144-146 MHz) os representantes das 27 associações portuguesas de radioamadores no âmbito do mandato que lhes foi conferido, decidiram reafirmar a sua posição, desta feita, alargando o conhecimento ao Secretário de Estado Adjunto e ao Ministério dos Negócios Estrangeiros.
É o seguinte o texto:




Colega Radioamador, 

Como é tradição a TRGM vai realizar no próximo domingo, dia 30 de Junho, a tradicional Sardinhada da Tertúlia, de novo, no esplêndido parque da Quinta do Patrício.
A concentração terá início pelas 11:00 horas para preparação das grelhas e afins.
A sardinha, febras, salada, pão  e bebidas são “por conta da casa”!
Só terá que trazer fruta ou sobremesa, para partilhar.

Para que não hajam desperdícios (que custam sempre a alguém…) agradecemos que nos diga o número de pessoas, até à próxima quinta-feira à noite. Ligue já ou envie SMS, para não esquecer, para o telefone  963708016 (Machado) e diga quantas pessoas.

Como chegar à Quinta do Patrício?
Siga pela estrada das Lages, depois de passar a Guarda Fiscal, anda 300 metros e entre no primeiro portão à esquerda (terá um cartaz a referir a TRGM).

Venha confraternizar com os Colegas Radioamadores.
Vai ver que não se arrependerá!

Alerta! França propõe expulsar o radioamadormo de metade da banda de 2m a nível mundial



Temos discutido em várias edições do QTC da ECRA a necessidade de valorizarmos as faixas destinadas aos radioamadores frente ao "olho gordo" que diversos outros serviços e especialmente empresas têm no precioso e limitado espaço chamado "espectro eletromagnético". 

Vimos em Agosto de 2017 um sinal amarelo sendo acionado quando uma decisão da Anatel atribuiu a nossa faixa de 70cm, de 430 a 440MHz, para uso compartilhado de uma empresa de monitoramento da Embraer e dos radioamadores. Isso significa que os dois serviços têm de conviver lado a lado, e em caso de interferência mútua, tem de haver coordenação a fim de cessarem as interferências.

Em termos práticos, esta decisão, até o momento, trouxe pouco ou nenhum impacto para nós, já que o uso que a empresa faz da faixa de 70cm é esporádica. Por outro lado, observando-se a exposição de motivos da Anatel, é dito que a empresa, antes mesmo de receber esta autorização, já operava de forma extraordinária na faixa, e ninguém notou. Por esta razão, alega-se que assim emanam causará problemas aos radioamadores.

Observamos, agora em 2019, um movimento bem mais ousado contra os radioamadores, mas desta vez, a nível mundial e com impacto imediato sobe uma faixa bastante utilizada em todo o mundo: a faixa de 2 metros, de 144 a 148MHz. A França encaminhou uma proposta para dividir pela metade esta faixa, tirando-a das mãos dos radioamadores e entregando para o serviço móvel aeronáutico. Este serviço ficaria com 144-146, e o radioamadorismo, com 146 a 148.

A proposta é tão absurda que quando a notícia surgiu, duas semanas atrás, o QTC da ECRA julgou-a irrelevante, estapafúrdia. Infelizmente, não é o caso. A proposta realmente existe, tem consistência e, de fato, ameaça uma das faixas mais populares do radioamadorismo mundial. Veja que não é o mesmo caso do ocorrido aqui no Brasil com a faixa dos 70cm. A proposta francesa quer literalmente, nos expulsar, dando ao serviço móvel aeronáutico o uso primário da faixa!

A França apresentou esta proposta (item 1.10) junto à Comissão Européia dos Correios e Telecomunicações, a CEPT, uma entidade que congrega e representa os países europeus no tocante às telecomunicações. É algo com uma super-Anatel, mas a nível continental. Por sua vez, esta entidade irá representar a Europa na Conferência Mundial de Radiocomunicação (WRT-19) que será realizada em Outubro deste ano, no Egito, e, caso aprovada a nível europeu, será levará para discussão na WRC e, queira Deus que não, seria adotada a nível mundial.

Como justificativa, é o mesmo blá blá blá: falta de espaço para comunicações vitais e alegada FALTA DE USO da faixa de radioamadores. Por conta disso, os radioamadores europeus estão organizando um movimento a nível continental para ocupar a metade inferior da faixa de 2m para mostrar que, longe de estar desocupada, ela tem bastante uso.

Os portugueses fizeram o primeiro movimento, e foi um sucesso. Pelo facebook, o colega José Machado, CT1BAT, informou que a mobilização organizada para o dia 15/06 foi um sucesso. Nas palavras dele, "Todos, de norte a sul do país, pudemos testemunhar que os radioamadores estão unidos! E estavam ansiosos por voltar a usar a sua banda de VHF".
Um colega radioamador francês, analisando a questão, disse que uma possível justificativa para escolherem justo a faixa de 2m é estratégica: ela tem destinação mundial única: os radioamadores. Se escolhessem qualquer outra faixa, teriam que brigar praticamente com o mundo todo, pois em cada país há destinações diferentes para cada faixa. No caso, vencidos os radioamadores, pronto: a faixa é deles.

Só para se ter uma ideia, caso esta proposta seja adotada, teríamos de dar adeus a CW, SSB, satélites, APRS, repetidoras, comunicação com a ISS, além do fato de perdermos METADE da faixa. 

Dito tudo isto, afirmamos que não há, no presente momento, motivo para pânico. A proposta francesa ainda tem de ser aprovada a nível euriopeu, e só então seguiria para análise a nível mundial. Porém, o radioamadorismo deve ficar ciente que esta é uma ameaça real, embora, no momento, esteja distante. Devemos estar atentos e cuidar muito bem de nossas faixas, procurando ocupá-las de forma consistente e legal, e não ocupar faixas que não são nossas, como é o caso deplorável e criminoso da tal "faxinha".

O radioamadorismo tem uma entidade representativa a nível mundial, a IARU, e esta já manifestou preocupação quanto a este assunto e está preparada para defender os interesses dos radioamadores. 

Fiquemos de olho!
In: 
https://qtcecra.blogspot.com/2019/06/alerta-franca-propoe-expulsar-o.html?fbclid=IwAR1KKMrQxYZy5To6V_ea32tQ43xU_TL-vprplgdpkQzyqqG5cmP8-3wRBkY

Caros colegas,
Como já devem saber a França inscreveu na agenda da reunião da CEPT, em Praga de 17-21 de Junho p.f., uma proposta (em anexo) para incluir a faixa de 144-146 MHz na ordem de trabalhos com vista à sua atribuição, com estatuto primário, ao serviço aeronáutico.
Dada a escassez do espetro e havendo muitos interessados, se este processo avança sem contestação os restantes países vão aplaudir e abrir as mãos porque a utilização destas faixas rende milhões às autoridades nacionais!
Então que fazer? Ficamos, serenamente, a aguardar o desenrolar dos acontecimentos? A ver discutir o destino de uma banda que é nossa? Não irão dizer que não a usamos, como já ouvimos acerca dos 432 MHz?
Muitos de nós acham que não... e já está em andamento um movimento no Facebook a apelar aos radioamadores para que dêm um sinal de que não aceitaremos pacificamente que nos tirem a faixa dos 144-146 MHz.
Se terá sucesso ou não, não sabemos... mas se não fizermos nada, aí sim, o mais provável é que nos retirem a banda.
A IARU e a EURAO informaram que vão estar presentes e serão a nossa (única) voz, mas os interesses financeiros cantam muito alto... e se não houver contestação de quem vota, ficará tudo mais fácil.
Também, em Espanha, França, UK, Bélgica, Itália e Roménia estão a ser convidados os radioamadores para irem à banda dos 2 metros, no próximo sábado, entre as 20:00 e as 21:00h UTC (2100-2200 em CT) e fazer chamadas e eventuais Qso’s nos repetidores e nas frequências diretas, como forma de marcar presença/posse.
Este movimento não tem dono, não partiu de nenhuma associação: - é de Radioamadores!
Apelo, assim, se concordarem que divulguem o folheto anexo ao maior número possível de radioamadores para que no próximo sábado afirmemos que a banda é nossa e que a queremos manter.

73 e obrigado de
José Machado – CT1BAT


Na agenda do encontro WRC23 há pontos que poderão ter impacto nas bandas de 144 MHz e 1240 MHz
A IARU R1 faz notar que foram submetidas duas propostas para discussão na Europa com potenciais implicações no espetro disponível para o serviço de amador. A manterem-se as propostas, estas serão futuros temas no encontro mundial WRC 2023
Esta proposta de discussão apresentada pela França, está baseada num "pedido" feito pela Thales, para que o segmento 144-146 seja alocado ao serviço móvel aeronáutico, ficando assim contiguo à faixa reservada a esse serviço.
Mas porquê?
A resposta a esta pergunta está na última parte do parágrafo anterior -> contiguo.
A Thales fornece uma boa parte (+/-80%) dos equipamentos e infraestrutura necessários ás comunicações, navegação e ajudas ao tráfego aéreo.
80% a nível mundial. Significa que poderá ter alguma influência na tomada de decisões ao nível nacional de cada país e por extrapolação a uma, ou várias regiões mundiais.
Além disso a Thales tem vindo a desenvolver estudos e software de gestão das comunicações que permitem uma partilha de espectro radioeléctrico de forma eficaz e eficiente.
Por último, porquê a faixa 144-146MHz?
Porque é mundialmente um segmento coordenado, comum às 3 regiões, e atribuído em estatuto primário ao Serviço de Amador e Amador por Satélite.
Na perspectiva de França, que pretende proteger um dos gigantes da indústria, e da Thales, torna-se mais fácil "expropriar" os Amadores desta banda do que procurar soluções alternativas em termos de faixas de frequências, que teriam igualmente que ser comuns às 3 regiões.
Por isso, aproveitem as Es, façam rádio, usem os repetidores, façam QSO's, sobretudo explorem o segmento destinado ao CW, SSB e modos digitais. Ocupar a banda significa que TODA a banda deve ser activada. Se utilizarmos apenas o segmento destinado a FM e repetidores, o principio da banda corre o risco de ser "caçado".
Portanto, amanhã sábado, não basta estar das 20 às 21h, temos que prolongar esta utilização pelo maior espaço de tempo possível.

Ver aqui a proposta que a França divulgou e que vai
apresentar no dia 17-21/06: https://8ccwuk.s.cld.pt


Agora, também os 6 metros?!?

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

Almoço de Natal 2018

Como habital, nesta quadra, os membros da Tertúlia reuniram-se em fraternal convívio, desta feita, à volta de um bacalhau espiritual e de umas carnes grelhadas na pedra com Sabor & Arte.


 A todos os nossos amigos radioamadores, a TRGM-Tertúlia deseja Boas Festas.




CT7ALO... SK



É com pesar que informamos que faleceu hoje o colega Vitor Almeida-CT7ALO.
O Vitor que havia conhecido o radioamadorismo em África"voltou"em 2014 com a Tertúlia.
Durante meses, viajou todos os sábados da Figueira da Foz a Coimbra para participar das ações de preparação da Tertúlia. Em 2014 foi a exame e obteve o CAN de CR7, dois anos depois prestou provas e ascendeu à categoria 2 e em 2018 conquistou a categoria 1 com o IC de CT7ALO. 
O corpo do nosso amigo está na casa mortuária de Tavarede, Figueira da Foz de onde, amanhã pelas 16:30 sairá o funeral.
À família enlutada a TRGM apresenta sentidos pêsames.

Presidente da Direção da TRGM nomeado Vice-Presidente da EURAO

A TRGM tem o gosto de anunciar que o presidente da sua Direção, José Machado - CT1BAT foi nomeado, por unanimidade do Conselho de Diretores da EURAO, para o cargo de vice-presidente daquela Organização Europeia de Radioamadores.


Como é sabido, a EURAO está implantada em toda a Europa, com uma representação assinalável que lhe valeu, em 2015, a aceitação pela CEPT com assento na ECC.




Em maio passado, foi-lhe atribuido o estatuto de "consultor especial" do Conselho Econômico e Social (ECOSOC) das Nações Unidas.



Esta nomeação, sendo honrosa para a TRGM, também distingue o radioamadorismo português. 
Por isso, desejamos ao colega Machado os maiores sucessos para o engrandecimento do radioamadorismo.

ESCE2018 - o filme dos acontecimentos

ESCE - Exercício Simulado de Comunicações de Emergência realizado pela TRGM em 04/11/2018


Clique na imagem para ver.

ESCE2018 - EXERCÍCIO SIMULADO de COMUNICAÇÕES de EMERGÊNCIA


EXERCÍCIO SIMULADO de COMUNICAÇÕES de EMERGÊNCIA
A TRGM – Tertúlia Radioamadorística Guglielmo Marconi realizou, este domingo 4 de Novembro, um exercício simulado de comunicações de emergência cobrindo um hipotético cenário de desastre na cidade de Coimbra. A TRGM, associação de radioamadores, tem a incumbência, estabelecida na lei, da constituição e operação de redes alternativas de comunicações em caso de catástrofe e a pedido da autoridade de proteção civil, realiza este exercício com periodicidade anual para treino dos seus operadores.
O exercício, que decorreu entre as 11:00 e as 13:00 horas, envolveu 20 pessoas, sendo 12 radioamadores e 6 escuteiros dos agrupamentos do CNE nºs 355-Montes Claros e 796-Bordalo de Coimbra e foi observado por um responsável de comunicações que, no final e a nosso pedido, fez a análise crítica do exercício.

A partir de um posto, equipado com meios rádio, em VHF, UHF e HF, nas bandas de 5 Megaciclos e de 7 Megaciclos, comprimentos de onda de 60m e 40metros, localizado junto ao vértice geodésico do Carrascal da Várzea, uma elevação de 172 metros sobranceira à cidade de Coimbra, foram coordenadas as comunicações com os hospitais da Universidade de Coimbra, a norte e o hospital dos Covões a sul da cidade, bem como com o posto de micro-ondas junto ao quartel da GNR na Cumeada. O Posto Coordenador manteve contato permanente com uma estação móvel, localizada junto ao aeródromo de Cernache bem como com uma rede de estações no anel exterior da cidade, de mais de 30 Kms, nomeadamente na Figueira da Foz, Aveiro e Mortágua.


Foram efetuadas várias comunicações com assinaláveis resultados em VHF (145 MHz) direta em onda de superfície e
em HF (5MHz) em comunicações NVIS, com antenas orientadas para a incidência vertical e reflexão na camada ionosférica F2, naquele período, a cerca de 190 Kms de altitude.




Todas as comunicações foram efetuadas sem qualquer dependência da rede energética, de repetidores de sinal  ou de redes de comunicações fixas ou móveis.
Confirmámos, mais uma vez que os radioamadores, mesmo em caso de falência da rede de energia ou de comunicações (rede GSM/telemóveis ou repetidores analógicos/digitais), têm meios e conhecimentos para, em breves minutos, estabelecerem comunicações via rádio, quer dentro de uma cidade quer ligando-a ao exterior cobrindo, se necessário, todo o país mercê da utilização das bandas, em vários comprimentos de onda, que nos estão atribuídas.